Agachamento livre

Agachamento livre – Treino de força

Como sabemos, devemos em todo agachamento livre preservar as curvaturas fisiológicas da coluna, manter a linha mecânica coxa-tíbias-pés em perfeito alinhamento, “peito pra cima”, quadril baixo, cotovelos apontados para baixo (ombros em rotação externa), bracing ativo, postura dinâmica tem que se manter (técnica de execução) do começo ao fim. “Ok, professor. Mas pq tem gente que inclina o corpo pra frente, levanta o calcanhar, entra em retroversão da pelve e outras coisas mais?” Meu caro, essas coisas podem ocorrer por INÚMEROS motivos. Esses motivos podem ser: encurtamentos musculares, desbalanceamentos musculares, diferenças de stiffness (grau de rigidez passiva e ativa de um músculo), insuficiências ativa e passiva e até mesmo diferenças anatômicas estruturais entre as pessoas! E o assunto será justamente esse!

Sabemos que um dos motivos de haver retroversão da pelve são encurtamentos e insuficiências. Mas será que é somente isso? NÃO! NÃO É! Tem gente que NUNCA conseguirá agachar tão profundo, pois terão a estrutura acetábulo x fêmur em posições anatômicas que não permitirão isso. E você personal trainer aí tem que saber identificar isso para não ficar gritando que nem um retardado mental assim: “desceeeee tudooooo….esmagaaaa” para pessoas que NÃO PODEM DESCER, pois o que vai esmagar e causar rupturas não será no músculo, mas sim causar rupturas no labrum do quadril!

O personal trainer chegado do esmaga, você sabia que a profundidade do acetábulo afeta totalmente em como cada um irá agachar? Acho que você não sabe né? Afinal só segue blogueiras e blogueiros de merda!

A profundidade do acetábulo é muito importante, mas existe ainda a questão de onde ele está localizado em relação ao centro do eixo de rotação da pelve. Se o acetábulo está anteriorizado, isso reduzirá as chances de contato osso com osso na parte baixa do agachamento, mas também será mais difícil alcançar a amplitude final da extensão do quadril. Se o acetábulo está retrovertido, fará com que atingir um agachamento profundo sem criar algum contato osso com osso ou causar rupturas no labrum do quadril seja quase impossível, porém facilita muito a posição de extensão final do quadril. Agora mudando pro colo do fêmur, se o ângulo do colo femoral é muito vertical, haverá uma chance aumentada de contato ósseo quando comparado a um colo femoral que é mais horizontal. Isto dito, um colo mais vertical, poderia teoricamente permitir uma maior excursão lateral ou rotacional. Então, se você nasceu com um acetábulo profundo e retrovertido e com a coxa valga, suas chances de alguma vez conseguir alcançar uma boa profundidade no agachamento são perto de ZERO, independente do quão flexíveis e alongados seus isquiotibiais, glúteo e adutores sejam.

Mas não pode passar dos 110, 115 graus de flexão de quadril sem retroverter a pelve devido a esses fatores anatômicos estruturais, mesmo com flexibilidade ótima! Além disso, a amplitude de flexão de quadril varia dependendo de determinados fatores. A flexão ativa não é tão ampla como a passiva, pois a posição do joelho também intervém no ângulo máximo de flexão. Quando o joelho está estendido a flexão não passa dos 90 graus, ao passo que quando está flexionados atinge e ultrapassa 120 graus. No que diz respeito à flexão passiva ela sempre ultrapassa os 120 porém a posição do joelho também é importante, se estiver estendido a flexão é muito menor do que quando joelho está flexionado. Na passiva com joelho flexionado pode chegar até 145 graus (Fisiologia articular vol.2 – kapandji)

Portanto, meu caro personal do esmaga, o assunto vai MUITO ALÉM de esmagar pra crescer, encurtamentos, insuficiências, desbalanceamentos e síndromes!

Mas fique tranquilo, pois para quem conhece o que acontece na relação afastamento das pernas x rotação externa, é possível ajustar o posicionamento para agachar para cada indivíduo, respeitando sua individualmente biológica e otimizando ao máximo o seu agachamento! Mas saiba: Nem todo mundo poderá agachar até o chão conseguindo preservar toda a técnica e postura dinâmica correta!

 

Veja a postura correta no exercício do agachamento livre

Summary
Review Date
Reviewed Item
Agachamento livre
Author Rating
51star1star1star1star1star

Autor: admin

Compartilhe este artigo no

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *