Quais os principais hormônios anabólicos do corpo

Mais do que um bom treino e uma boa alimentação, é preciso conhecer o próprio corpo para alcançar os resultados desejados. Manter a saúde em ordem também é muito importante, pois é por causa de alguns hormônios específicos do corpo que a hipertrofia é possível.

Quais os principais hormônios anabólicos do corpo_

  • Hormônio do Crescimento (GH)

Trata-se de elemento que tanto é sintetizado quanto secretado pela glândula pituitária anterior, o hormônio do crescimento estimula o crescimento e também propicia a reprodução das células. Além disso, é conhecido por promover o crescimento da síntese proteica, mais conhecido como anabolismo, que é um processo fundamental para a construção e/ou recuperação da massa magra.

Presente em maior quantidade nas pessoas jovens, sua produção começa a cair depois dos 30 anos. A perda é rápida e intensa: cerca de 1/4 a menos por década. Por isso é muito mais rápido e fácil um rapaz de 19 anos “crescer” e ganhar músculos do que um senhor de mais de 60 anos.

Suas vantagens são enormes e configuram o grande desejo, não só daqueles que treinam. Entre eles estão redução da gordura estocada no corpo, menos flacidez e rugas na pele, aumento do apetite e da função sexual e auxílio na melhora dos patamares de colesterol.

Além disso pode incluir na lista benefícios para memória, humor, visão e sono, imunidade e ossos.

  • Testosterona

Sem dúvida o mais famoso dos hormônios anabólicos, a testosterona é um hormônio com função esteroide. Ao contrário do que muitos podem pensar, é produzido em ambos os sexos, porém em quantidade muito maior no masculino. É principalmente por causa da testosterona que homens ganham massa muito mais fácil que mulheres.

Nos homens é sintetizado pelos testículos e nas mulheres é produzido pelos ovários.

No entanto a sua fama dentro das academias não é em vão. Ele tem grande importância na síntese protéica, além de auxiliar na redução dos efeitos de hormônios catabólicos.

A testosterona tem também outra função que não é muito conhecida, mas nem por isso menos importante. Ela é um facilitador de outros mecanismos anabólicos, como o já citado hormônio do crescimento e também do IGF-1, que será comentado logo mais.

Ela é praticamente anabólica por si própria, além de tornar outros hormônios mais anabólicos simplesmente por estar ali. Ou seja, sem ela é praticamente impossível ter a tão desejada hipertrofia.

  • Insulina

Comumente esquecida, a insulina também é um hormônio anabólico.

Sintetizada por células beta da ilhota de Langerhans, no pâncreas, é o hormônio mais importante na regulação do metabolismo energético. Ela é também responsável pela diminuição da taxa de açúcar no sangue.

Mais do que isso, ela é essencial para a ingestão de carboidratos, a síntese proteica e o armazenamento de gordura.

Presente em parcela expressiva das células do organismo, dos músculos ao tecido adiposo, é de extrema importância, mesmo que não seja muito lembrada.

Para os assíduos da academia, é sempre bom ter os exames em ordem para verificar as taxas do hormônio, pois em caso de diabetes (doença que causa deficiência de insulina) os resultados desejados podem ficar prejudicados.

Além disso, a deficiência de insulina pode causar diversos outros malefícios à saúde.

  • IGF-1

Sua função pode ser explicada em uma analogia com a insulina. Ou seja, se a insulina é o hormônio responsável pela entrada de glicose dentro das células, o IGF age de modo parecido, porém associado ao GH, o hormônio de crescimento já explicado acima.

Em resumo, ele é o responsável pela mediação de diversos processos relacionadas ao hormônio de crescimento, como o próprio crescimento e também a multiplicação de células.

Em uma comparação bem boba, é como se o GH fosse você dentro de uma loja e o IGF fosse todo o dinheiro que você teria para gastar.

Ele também auxilia na síntese de proteínas durante o treino pesado e de quebra potencializa e maximiza a tão desejada hipertrofia.

Autor: admin

Compartilhe este artigo no